sábado, 7 de março de 2015

233 - Feminismo (2)

Eu iria começar o Ano 8 só semana que vem, mas diabos, deu vontade de fazer uma tirinha especial para o Dia da Mulher. Sei que é amanhã, mas eu já queria fazer uma sensibilização desde hoje.


Nem todo mundo entende o que o feminismo defende. Às vezes, nem mesmo algumas feministas. Feminismo não é pra ser mais uma ditadura, dizendo o que pessoas devem ou não fazer. É um jeito de encarar a vida. Você não precisa seguir uma série de regras para ser feminista. É só lembrar que homens e mulheres são seres humanos, que devemos conhecer e respeitar. Que quando você vai fazer algo e quer saber se as mulheres vão gostar, é para mulheres que tem que perguntar. E não uma ou duas mulheres, mas um bocado, afinal, as mulheres não são todas iguais (como os homens não são todos iguais).

Feminismo é sobre a gente não responder a perguntas com respostas do tipo "porque isso é coisa de homem" ou "porque isso é coisa de mulher". É sobre não desqualificar uma pessoa porque suas opções de vida não batem com o que a maior parte das pessoas de seu sexo faz, é sobre não oprimir mulheres (e homens!) até que se encaixem num molde já existente do que é ser mulher (ou homem).

Nesse dia da mulher, vamos nos lembrar que mulheres não existem no mundo só para dar a luz a um homem ou para ser amada por um homem. Que também conquistam coisas por si próprias, que também são dignas de admiração e que podem mudar o mundo para melhor.

E sim, mulheres também podem ser grandes nerds. :)

------------
L: Violet, eu não entendo. você sempre foi feminista militante, mas quando se casou, você trocou pro nome do marido e quando o Bram nasceu, você parou de trabalhar por anos.
V: Lucy, querida, o feminismo não tem que dizer o que uma mulher deve ou não fazer. ele é sobre fazermos nossas escolhas livremente. largar meu emprego por um tempo foi minha escolha, e foi o melhor para mim. Não é como se o bram não tivesse feito sacrifícios também. Ele fez, e muitos.
V: Decidimos tudo democraticamente, como adultos, e o Quarto, hoje, é uma criança maravilhosa.
V: E sobre trocar de nome, se uma garota nerd tem a chance de trocar seu sobrenome pra Van Helsing, Lucy, ela vai fazer isso. Tem coisas que estão acima de questões de honra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta que nem gente, que o Vlad tá de olho!